Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico.
Será avaliado pelos nosso médicos e iniciará o seu plano de actividade fisíca sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas de exercício.

a

 

No caso de ser indicado o exercício, o exercício físco dentro de determinados limites pode ajudar a:

• Melhorar a capacidade aeróbica, optimizando o limiar de fadiga/esforço
• Aumentar tenuemente a hematopoiese

Treino supervisionado

• Dependendo da etiologia, tipo e gravidade da anemia, o exercício físico clínico pode ajudar, mas é necessária uma observação médica para tomar a decisão de iniciar um programa de treino.
• Tome todos os medicamentos, como recomendado pelo seu médico.
• Se o seu nível de condicionamento físico é baixo, comece com sessões mais curtas (10 a 15 minutos) e, gradualmente, adicione cinco minutos de exercícios a cada duas a quatro semanas.
• Idealmente, deve exercitar-se 30 a 60 minutos, pelo menos, três a quatro dias por semana
• Pelo menos dois dias por semana, deve seguir um programa de treino de força muscular com 1-3 conjuntos de exercícios para os principais grupos musculares, com 10 a 15 repetições.
• Faça pausas frequentes durante a atividade, se necessário
• Exercício de alta intensidade e desidratação pode aumentar o risco de crise falciforme, se for essa a causa da sua anemia
• Deve acompanhar de perto o seu nível de intensidade e ficar dentro de sua zona de frequência cardíaca alvo
• Pare o exercício imediatamente se sentir dor no peito ou fadiga extrema. Contacte o seu médico
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Promover bem-estar, prazer socialização e controlo sobre o nível de ansiedade

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Continue sempre a tomar a medicação
• Se está a tomar medicação, pergunte ao médico quais as possíveis interacções com o exercício. Por exemplo alguns antipsicóticos podem causar desidratação ou alterações do equilíbrio, enquanto antidepressivos podem causar fadiga, tonturas e aumento de peso
• O programa de exercício é desenhado de forma a maximizar os benefícios com o mínimo risco de agravamento da sua condição de saúde.
• Treino em grupo promove socialização
• Encontrar actividade físicas com as quais se divirta, sem sentido de competição/pressão, que cumpra numa base regular
• Escolha ambientes em que sinta confortável, minimizando situações de ansiedade
• Acitividades mind and body, como yoga ou tai-chi poderão ser úteis na redução de ansiedade e na promoção de bem estar e relaxamento
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Melhorar o equilíbrio e coordenação
• Diminuir a necessidade de aparelhos de auxílio como cadeira de rodas, bengalas
• Aumentar a capacidade de desempenho de actividades de vida diária
• Promover a autonomia

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• O segredo está na prescrição adequada e segura de exercício que melhor se ajuste às suas sequelas, estadio de recuperação e objectivos de actuação.
• O programa de exercício é desenhado de forma a maximizar os benefícios com o mínimo risco de agravamento da sua condição de saúde.
• Treino: 3-5x/semana, 1hora [Personal training opcional]
• Objectivos de treino: Redução de factores de risco (hipertensão, diabetes,..), capacidade aeróbica, força muscular, coordenação, flexibilidade, autonomia nas actividades de vida diária, mobilidade
• Poderão ser necessárias sessões complementares de fisioterapia.

Treino individual [complemento]

• Fale com o seu fisioterapeuta assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico individual
• Continue a tomar toda a medicação recomendada pelo seu médico
• Pode ser necessário ajuda de um companheiro de exercício para exercícios como andar de bicicleta ou andar, se tiver dificuldades de equilíbrio
• Escolha actividades de baixo impacto como caminhar, andar de bicleta ou natação, que envolva grandes cadeias musculares e possa ser feito de forma contínua
• Comece devagar e incremente progressivamente a intensidade e duração dos treinos. Inicialmente o treino não deverá exceder os 5-10 minutos; quando estiver adaptado poderá praticar 30-60 minutos/dia, 3-5 vezes por semana.
• O treino pode ser faseado (30 min = 3x10 minutos)
• Descanse as vezes que achar necessário
• Comece os exercícios em posição estavel e monitorize a sua resposta antes de prosseguir com o gesto técnico
• Evite exercícios que sobrecarreguem as suas articulações ou aumentem o risco de queda
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

No caso de ser indicado o exercício, o exercício físco dentro de determinados limites pode ajudar a:

• Melhor o perfil de dor
• Optimizar flexibilidade e amplitude articular
• Atrasar a história natural da doença

Exercício físico

• Converse com seu médico antes de iniciar um programa de exercícios e pedir recomendações específicas de programação e possíveis mudanças nos seus medicamentos.
• Escolha actividades físicas de baixo impacto e sem impacto como caminhada, natação, hidroginástica ou ciclismo.
• Um bom aquecimento e um retorno à calma progressivo pode ajudar a reduzir a probabilidade de agravamento de dor articular
• Distribua sua atividade ao longo do dia (por exemplo, três sessões de 10 minutos). É preferível definir objectivos por tempo em vez de distâncias
• Comece devagar e progrida gradualmente a intensidade e a duração dos seus treinos.
• Deve fazer pausas frequentes durante a atividade, se necessário.
• Escolha sapatos e palmilhas adequados para máxima absorção de choque.
• Esteja preparado para ajustar os seus treinos de acordo com as flutuações nos seus sintomas
• Evite treinar com dor
• Algum desconforto após os treinos é de esperar, mas você não deve ficar com dor.
• Evite atividades vigorosas, altamente repetitivas
• Se você tem artrite nos membros inferiores, consulte o seu médico antes de fazer atividades como a corrida de alto impacto.
• Seu programa de exercícios deve ser modificado para maximizar os benefícios e minimizar o risco de agravar seu estado de saúde.
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Estabilização das crises asmáticas
• Aumentar a capacidade cardiorespiratória

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Continue sempre a tomar a medicação
• Progressão ponderada na intensidade e duração dos treinos
• Programe a sua sessão de exercício para uma altura do dia em que seja menos provável uma crise, como a meio da manhã
• Um aquecimento prolongado e um arrefecimento gradual diminui a probabilidade de aparecimento de sintomas
• Poderão ser necessárias até 6 semanas para que se habitue à rotina de treino
• Poderá ser necessária o ajuste das sessões de treino às condições climatéricas, sazonais ou à flutuação nos seus sintomas
• Faça intervalos na actividade se necessário
• Evite temperaturas extremas, humidade, treinos de alta intensidade
• Se o exercício agravar os seus sintomas, pare e contacto o seu médico para melhor ajuste da sua medicação
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Melhorar condição física, aumentar resistência aeróbica e força muscular, diminuindo os factores de risco cardiovasculares
• Aumentar a capacidade de desempenho de actividades de vida diária

Treino supervisionado

• Fale com o seu oncologista / cirurgião àcerca de integrar exercício físico no seu plano de tratamento
• As actividades recomendadas incluem caminhar, andar de bicicleta, nadar, exercícios de baixo impacto articular, treino de força de baixa intensidade, e flexibilidade
• Continue a tomar toda a medicação recomendada pelo seu médico
• Comece devagar e incremente progressivamente a intensidade e duração dos treinos. Inicialmente o treino não deverá exceder os 5-10 minutos; quando estiver adaptado poderá praticar 30-60 minutos/dia, 3-5 vezes por semana.
• O treino pode ser faseado (30 min = 3x10 minutos)
• Descanse as vezes que achar necessário
• Não existe nenhum exercício optimo para o cancro – o objectivo é manter e se possível melhorar a funcionalidade.
• Esteja preparado para modificar as características do seu treino, tendo em conta a sua condição presente ou reacção a modificações no tratamento
• Tratamentos como cirurgia, quimio ou radioterapia podem limitar a sua actividade devido aos seus efeitos secundários como fadiga, limitação articular ou dor. Por exemplo, uma mulher que foi submetida a uma mastectomia pode ter força e mobilidade diminuídas nos braços e peito.
• Escolha vestuário adequado para exercício e tente manter a sua pele seca para evitar a irritação, se estiver a receber radioterapia
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Alívio sintomático da dor nas pernas
• Aumentar a distância percorrida, melhorando o espectro de autonomia
• Melhorar condição física geral (cardiovascular, força muscular, flexibilidade, coordenação e funcionalidade)
• Controlo dos demais factores de risco cardiovasculares (Hipertensão arterial, diabetes mellitus, tabagismo)

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Continue sempre a tomar a medicação
• Pode ser necessário frequência prévia num programa de reabilitação cardíaca
• A sua prescrição de exercício tem de ser adequada ao seu esquema/horário de medicação, e à presença/gravidade das complicações diabéticas
• Por cada hora de exercício deverá consumir 15g adicionais de carbohidratados antes ou depois do treino
• O treino diário é recomendado. Conjugamos treino cardiovascular moderado com treino de força muscular de intensidade média
• Comece devagar e incremente progressivamente a intensidade e duração dos treinos. Inicialmente o treino não deverá exceder os 5-10 minutos; quando estiver adaptado poderá praticar 30-60 minutos/dia, 3-5 vezes por semana.
• Evite a actividade física se tiver a diabetes descontrolada (hiperglicémia, cetonúria)
• Actividade muito intense pode estimular a secreção de adrenalina, que tem acção contrária à da insulina promovendo assim a hiperglicémia
• Beba muitos fluidos antes e durante o exercício
• Tenha atenção ao calçado se sofre de ferida diabetic ou neuropaia (pode não sentir pedras no sapato que o irão magoar)
• Atenção às seguintres complicações: hipo ou hiperglicemia, retinopatia, nefropatia, ulcera de pés, doença vascular periférica, doença cardiovascular.
• Cuidado especial é necessário, pois o exercício pode desencadear angina, isquémia silenciosa ou dor atípica, sendo recomendada uma avaliação pré-exercício incluindo um teste de esforço.
• Pare de treinar e recorra ao seu médico assistente se sentir dor no peito ou cansaço extremo
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Alívio sintomático da dor nas pernas
• Aumentar a distância percorrida, melhorando o espectro de autonomia
• Melhorar condição física geral (cardiovascular, força muscular, flexibilidade, coordenação e funcionalidade)
• Controlo dos demais factores de risco cardiovasculares (Hipertensão arterial, diabetes mellitus, tabagismo)

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Continue sempre a tomar a medicação
• Pode ser necessário frequência prévia num programa de reabilitação cardíaca
• Enquanto todas as actividades aeróbicas são benéficas, o caminhar é o melhor exercício nesta condição
• Caminhe até que a dor na perna o obrigue a parar. Depois caminhe de novo devagar, até que a dor a dor volte. Repita este ciclo trabalho/descanso. Descanse as vezes que achar necessário
• Comece devagar e incremente progressivamente a intensidade e duração dos treinos. Inicialmente o treino não deverá exceder os 5-10 minutos; quando estiver adaptado poderá praticar 30-60 minutos/dia, 3-5 vezes por semana.
• O treino pode ser faseado (30 min = 3x10 minutos)
• O tempo frio pode agravar sintomatologia
• Se tiver concomitantemente doença coronária isquémica, insuficiência cardíaca crónica, doença valvular cardíaca as considerações sobre o exercício para essas doenças deverão sobrepor-se às da fibrilhação auricular
• Pare de treinar e recorra ao seu médico assistente se sentir dor no peito ou cansaço extremo
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:
• Aumentar a capacidade de desempenho de actividades de vida diária
• Promover a autonomia, e reduzir declínio cognitivo

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• O segredo está na prescrição adequada e segura de exercício que melhor se ajuste ao seu grau de autonomia
• O programa de exercício é desenhado de forma a maximizar os benefícios com o mínimo risco de agravamento da sua condição de saúde.
• Treino: 3-5x/semana, 1hora [Personal training opcional]
• Treino em grupo promove socialização e menor declínio cognitivo
• Objectivos de treino: autonomia nas actividades de vida diária, mobilidade
• Peça ajuda de outros para o lembrarem do horário de treino ou das aulas que prefere
• Não hesite em perguntar por mais explicações ou demonstrações no caso de não se recordar de como exercutar os exercícios adequadamente
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:
• Alívio sintomático
• Correcção postural
• Melhorar condição física geral (cardiovascular, força muscular, flexibilidade, coordenação e funcionalidade)

Treino supervisionado
• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Poderão existir contraindicações para a prática de exercício físico, nomeadamente situações que exijam tratamento cirúrgico prévio
• Continue sempre a tomar a medicação
• Realizará exercícios de reduzido impacto como andar, nadar, hidroginástica ou ciclismo
• Progressão ponderada na intensidade e duração dos treinos
• Seleccione sapatos que absorvam o choque do impacto
• Deve esperar algum desconforto após o treino, mas não dor
• Evite treinos vigorosos, com actividades repetitivas
• O fortalecimento dos músculos abdominais, lombares e das pernas é essencial para a manutenção de uma boa postura e biomecanismos de equilíbrio.
• Yoga, tai chi e pilates poderão ser úteis na prevenção ou alívio sintomático da lombalgia
• Adequar sempre os treinos às flutuações nos seus sintomas
• Duas semanas após o desaparecimento do período de agudização da dor já pode começar com treino de flexibilidade de intensidade ligeira
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:
• Melhorar condição física, aumentar resistência aeróbica e força muscular, diminuindo os factores de risco cardiovasculares
• Aumentar a capacidade de desempenho de actividades de vida diária

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Continue a tomar toda a medicação recomendada pelo seu médico
• Poderá ser útil integração prévia num programa de reabilitação cardíaca
• O segredo está na prescrição adequada e segura de exercício que melhor se ajuste às suas sequelas, estadio de recuperação e objectivos de actuação.
• O programa de exercício é desenhado de forma a maximizar os benefícios com o mínimo risco de agravamento da sua condição de saúde.
• Treino: 3-5x/semana, 1hora [Personal training opcional]
• Escolha actividades de baixo impacto como caminhar, andar de bicleta ou natação, que envolva grandes cadeias musculares e possa ser feito de forma contínua
• Comece devagar e incremente progressivamente a intensidade e duração dos treinos. Inicialmente o treino não deverá exceder os 5-10 minutos; quando estiver adaptado poderá praticar 30-60 minutos/dia, 3-5 vezes por semana.
• O treino pode ser faseado (30 min = 3x10 minutos)
• Descanse as vezes que achar necessário
• A fibrilhação auricular pode ser intermitente, o que quer dizer que o ritmo cardíaco pode ser normal num dia e anormal no dia seguinte. É bom ajustar a intensidade e duração à sua sintomatologia, uma vez que há dias em que pode ter menos tolerância ao exercício
• Se tiver concomitantemente doença coronária isquémica, insuficiência cardíaca crónica, doença valvular cardíaca as considerações sobre o exercício para essas doenças deverão sobrepor-se às da fibrilhação auricular
• Pare de treinar e recorra ao seu médico assistente se sentir dor no peito, ritmo cardíaco anormalmente elevado ou cansaço extremo
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

A actividade físca pode ajudar a:

• Alívio sintomático
• Evitar progressão de degeneração osteoarticular

Treino supervisionado

• Fale com o seu médico assistente dando-lhe conhecimento que vai iniciar um programa de exercício físico sob nossa orientação
• Continue sempre a tomar a medicação
• Realizará exercícios de reduzido impacto como andar, nadar, hidroginástica ou ciclismo
• Contemplamos um período de aquecimento para as articulações, assim como alongamento sempre no final do treino, de forma a não agravar as dores articulares
• Procura-se atingir metas de tempo e não de distâncias
• Progressão ponderada na intensidade e duração dos treinos
• Seleccione sapatos que absorvam o choque do impacto
• Adequar-se-à sempre os treinos às flutuações nos seus sintomas
• Deve esperar algum desconforto após o treino, mas não dor
• Evite treinos vigorosos, com actividades repetitivas
• Considere contatar o seu médico e um fisioterapeuta/especialista de exercício que pode trabalhar com você para estabelecer metas realistas.

Se se encontra nesta condição e pretende treinar num Centro Clínico de exercício físico, marque a sua visita clicando aqui. Será avaliado pelos nossos médicos e iniciará o seu plano de actividade física sob supervisão de fisioterapeutas e especialistas do exercício.

Um programa de exercício físico seguro e eficaz pode ser uma contribuição fundamental na reabilitação de dada patologia, bem como na prevenção das suas complicações.

   
Adaptado de Exercise is Medicine
 

Política anticorrupção | Termos de utilização e privacidade | Clínica das Conchas e MEX são marcas registadas. Todos os direitos reservados.